Miguel Alcade Bridal Atelier | Diamantes sintéticos ganham força na joalheria
12106
post-template-default,single,single-post,postid-12106,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.7,vc_responsive

Diamantes sintéticos ganham força na joalheria

Diamantes sintéticos ganham força na joalheria

Se me perguntarem o que eu mais gosto nessa nesse mundo moderno que estamos vivendo eu respondo que é a possibilidade de escolha. Nada melhor do que ter opções, e ser respeitado em nossa individualidade. Hoje para cada desejo há uma série de possibilidades para realizarmos os nossos sonhos. A joalheria não foge a essa regra e também se atualizou, oferecendo muito mais possibilidades para encantar vocês.

Se antes a gente só podia escolher entre uma gema falsa e outra verdadeira, agora estamos diante da possibilidade inovadora das gemas produzidas em laboratório e que são quimicamente idênticas as originais. Assim como acontece com muitas novidades, no início o mercado se fechou para essa inovação, mas agora, meninas, as joalherias já estão abraçando essa possibilidade.

Desde que fundei a minha própria grife sempre entendi que me competia criar o design das, mas dando opções que as minhas clientes pudessem escolher o material que desejam para materializar esses mimos de luxo, seja ele ouro, prata, gemas ou pedras sintéticas. Agora, as grandes joalherias estão começando a se abrir para essa possibilidade e estão passando a usar diamantes produzidos em laboratório em suas coleções principalmente nos Estados Unidos.

Essa onda pegou mais força depois que a De Beers – empresa líder mundial em diamantes e o maior produtor de diamantes do mundo em valor – começou a vender os sintéticos em sua coleção de joias. São produtos de alta qualidade, com brilho similar aos diamantes naturais, que valorizam o design das joias.

Atualmente há diversos métodos para a fabricação dos diamantes artificiais, entre elas, uma bastante interessante. Uma pequena pedra de diamante é inserida em uma cápsula de grafite e, tanto o diamante quanto a cápsula são derretidos por uma pressão atmosférica 58 vezes maior que a normal. Toda essa pressão sobre o diamante e o grafite gera um calor enorme, até começa a transformar o grafite em diamante. Todo esse processo demora cerca de quatro dias e o resultado é incrível.

Daí vocês podem se perguntar: vale a pena trocar um diamante de verdade por um feito em laboratório? A resposta, meus amores, é: depende de vocês! Depende do que vocês desejam da joia, o significado dela na sua história de amor, a ocasião, enfim, a relação que você terá com esse objeto. Muitas vezes, uma joia é apenas um produto, mas há casos em que ela se transforma em algo muito mais especial, pois leva consigo um pedacinho da nossa história.

Beijo, beijo!

Miguel Alcade

 

 

No Comments

Leave a Comment