Miguel Alcade Bridal Atelier | A pureza do diamante
7354
post-template-default,single,single-post,postid-7354,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

A pureza do diamante

A pureza do diamante

Agora que vocês já sabem que a cor dos diamantes está intimamente ligada aos elementos que se associam às cadeias de carbono, fica mais fácil entender o porquê de a “pureza” ser outro critério importantíssimo na classificação de diamantes. Além de modificar a tonalidade da gema preciosa (deixando-a mais ou menos “amarela”, como no caso do nitrogênio), alguns traços pequeninos de outros minerais podem ser englobados durante o processo de transformação, que parecem como microscópicas marcas brancas ou pretas.

Antes essas pequenas marcas no diamante eram chamadas de carvões. Atualmente as conhecemos como “inclusões” e, de acordo com a classificação de pureza, quanto mais inclusões um diamante tiver, menor será o seu valor. Isso ocorre porque essas inclusões interferem na reflexão e na refração dos raios de luz no diamante, ou seja, o brilho e o fogo da gema lapidada acabam prejudicadas. Seguindo essa lógica, quanto mais “puro” o diamante, ou seja, quanto menos inclusões ele tiver, mais limpo e brilhante ele será. E quanto mais radiante…. Mais linda e reluzente fica a joia!

Para observar e analisar essas inclusões, é necessária uma lente especial de dez aumentos, conhecida internacionalmente como Flawless. É através desse aparelho que é analisada a pureza do diamante, tendo em vista o número, o tamanho e a posição dessas inclusões. Quanto maior o número delas, menor o valor do diamante. A posição dessas marcas também é fundamental – se estão mais próximas da superfície, é possível serem escondidas pela cravação, não interferindo na reflexão da luz, mas, se são inclusões profundas, em pontos indesejados, prejudica a entrada dos raios de luz e, consequentemente, diminuem o fogo e o brilho. Por fim, temos que analisar o tamanho dessas inclusões, afinal, se forem grandes e mal posicionadas, o diamante pode descer muito na escala internacional de classificação.

Entretanto, por mais que seja extremamente raro um diamante sem impurezas, são elas que dão sua característica única para cada diamante. Essas inclusões funcionam como uma impressão digital da gema preciosa, fazendo de cada diamante uma joia individual e especialíssima. Não é à toa que o diamante é o melhor presente para uma declaração de amor, não é mesmo?

Beijo, beijo,

Miguel Alcade

 

Deixar um comentário