Miguel Alcade Bridal Atelier | Pérolas negras, quem resiste?
8057
post-template-default,single,single-post,postid-8057,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Pérolas negras, quem resiste?

Pérolas negras, quem resiste?

Pérolas – Capítulo 8

Sabe aquelas pérolas negras maravilhosas e imponentes que tanto amamos? São sobre essas gemas especialíssimas que vamos conversar hoje. As pérolas negras são produzidas pela ostra perlífera Pinctada margaritífera, da variedade cumingui, um molusco com lábio negro e que apresenta um arco íris incrível em sua borda interna. Ela é encontrada abundantemente na Polinésia Francesa (Mares do Sul) e é sua coloração que permite pigmentar também as pérolas produzidas em seu interior. São conhecidas como pérolas do Tahiti justamente por existir uma maior incidência desses moluscos no Tahiti, uma das principais ilhas da Polinésia Francesa.

A madrepérola da Pinctada era usada na Antiguidade para a confecção de adornos cerimoniais e instrumentos de pesca. No mercado europeu ela também foi muito usada para a confecção de botões. Desse modo, os nativos procuravam mergulhar em busca dos corais desse molusco pela madrepérola, pois muito dificilmente havia pérola na Pinctada. Para se ter uma ideia, era preciso abrir cerca de 15 mil ostras perlíferas para encontrar uma única pérola!

Por conta disso, o cultivo se tornou a opção mais rentável para a produção dessa gema negra tão maravilhosa. Com um processo de cultivo semelhante ao da pérola japonesa, as ostras perlíferas de lábios negros que vivem grudadas nas paredes de coral são apanhadas com coletores artificiais e criadas por mais de três anos. Só depois de atingir o tamanho e a idade ideais é que os moluscos são inseminados. A cada cem ostras que são realizadas a introdução do núcleo, apenas 30 chegam a produzir pérolas e, dessas, um ou duas serão perfeitas.

Basicamente, após a introdução dos núcleos, esses ficam recebendo camadas de nácar durante dois anos mais ou menos. O nácar produzido pela Pinctada é geralmente negro, mas pode variar do cinza claro, até o verde, azul e lilás. Ou seja, cada gema apresentará uma beleza surpreendente. Assim como as pérolas comuns, as pérolas negras são selecionadas pelo tamanho, formato e qualidade. Entretanto, por conta da cavidade do molusco ser maior, a pérola também é ligeiramente maior (para nossa alegria, não é mesmo?). O tamanho fica geralmente entre 8 e 16 mm.

Outro dado interessante é que a maioria não apresenta formato redondo perfeito, mas nem por isso são descartadas. As pérolas em formatos menos harmoniosos produzem ainda joias incríveis, cheia de personalidade e únicas. Para serem consideradas redondas, precisam ter uma variação de, no máximo, 2%. As semi-redondas são esferas imperfeitas, com taxa de variação no diâmetro entre 2% e 5%. As pérolas semibarrocas têm pelo menos um eixo de rotação e se subdividem em: pingo ou gota, botão, oval e pêra. Por fim, temos as pérolas negras barrocas, que não possuem nenhum eixo de rotação. Como nós também já vimos, as pérolas são também avaliadas pelo brilho e pelas saliências da superfície (quanto mais brilho e menos saliências, mais valiosas). Mas chamo a atenção de vocês para essas gemas não tão perfeitas, que formam joias belíssimas e singulares.

Beijo, beijo!

Miguel Alcade

 

Sem Comentários

Deixar um comentário